Sign In

​Elas preferem a Fiat


Prêmio Top of Women consagra marca como favorita das mulheres brasileiras. A professora Suely é uma dessas apaixonadas

22 de outubro de 2018 - Professora aposentada, Suely Eustachio Vale, 69 anos, moradora de São Paulo, lembra bem do seu primeiro carro da Fiat. Era uma Elba, comprada em 1989. “Tinha acabado de lançar e, assim que vi, me apaixonei pelo modelo”, recorda. Desde então, ela e o marido já trocaram de carros muitas vezes, mas nunca mais mudaram de marca. Já foram 12 Fiats, todos comprados no nome de Suely, que já chegou até a estrear uma campanha publicitária para a sua marca preferida. Confira:


A fidelidade dela à Fiat já virou herança de família. É que o primeiro carro da filha dela, Miriam Vale, também professora, foi um Palio. Atualmente as duas dirigem Fiats Cronos. E Suely aposta que as novas gerações vão perpetuar a tradição, considerando que a netinha dela, Ana Maria, que tem apenas um aninho e meio, fica feliz da vida toda vez que passeia de carro com a mamãe ou com a vovó.

Assim como as mulheres da família Vale, milhares de brasileiras também preferem a Fiat. Foi o que constatou o Prêmio Top of Women da revista Cláudia, que ouviu duas mil mulheres no Brasil. Entre 500 marcas em 30 categorias, elas elegeram a Fiat como o primeiro lugar na categoria “montadora”.

Para as mulheres da família Vale a Fiat é tradição

Esta é a segunda edição do prêmio, que parte de uma pesquisa realizada em parceria com a MindMiners, empresa especializada em pesquisa de mercado. As marcas eleitas pelas brasileiras foram divulgadas em edição especial da revista publicada em julho. Segundo Fernanda Vicentini, consultora de pesquisa de mercado da editora Abril, há uma diferença fundamental entre homens e mulheres em relação ao consumo: “Mulheres, em geral, são práticas e escolhem baseadas em sua realidade”, explica. “Homens, principalmente os jovens, podem citar marcas aspiracionais, que desejam ter”, ela explica.

“O prêmio coroa nosso esforço em oferecer produtos que atendam às necessidades dos clientes por meio de uma comunicação eficiente, inovadora e identificada com esse público”, destacou João Batista Ciaco, head of Brand, Marketing and Communication da FCA para a América Latina.

Exigentes em suas escolhas, as mulheres estão atentas a vários atributos das marcas. A pesquisa realizada pelo Prêmio Top of Women identificou que preço, qualidade e praticidade estão entre alguns dos aspectos mais observados. Além desses aspectos, quando o assunto é carro, atributos como conforto também atraem as consumidoras.

“Meu primeiro carro, por exemplo, foi um Fiat Palio que tinha ótimo espaço interno e porta-malas. Eu levava todas as minha coisas nele. Era muito prático, além de ter um excelente desempenho e ser econômico, o que era essencial porque eu rodava 100 Km por dia para sair da minha casa, na Zona Leste de São Paulo até o trabalho no Centro e a faculdade na Zona Oeste”, lembra Miriam Vale.

Para Suely, por exemplo, um carro tem que acolher toda a sua família. Por isso, o conforto, a segurança e o amplo espaço interno dos carros da Fiat são principais os diferenciais. “Além disso o carro tem que ser bonito e o bom atendimento nas concessionárias também conta muito”, diz.

Já no caso da filha dela, Miriam, os critérios mudaram bastante após a chegada da filha Ana Maria. “Quando eu era estudante, queria um carro mais compacto. Agora que sou mãe, minhas necessidades mudaram. Penso no espaço interno para instalar a cadeirinha da minha filha. Por isso escolhi o Cronos, meu atual carro, que tem um espaço interno grande e comporta a cadeirinha com folga”, explica.


O que as mulheres querem?

As mulheres querem ser surpreendidas positivamente. Essa é mais uma das conclusões da pesquisa Top of Women, que destaca a inovação das marcas como um dos ingredientes mais importantes para as brasileiras. Nesse aspecto, o head of Brand, Marketing and Communication da FCA, João Ciaco lembra que “é preciso criar novas formas de pensar e de surpreender consumidoras e consumidores”. O executivo cita o investimento da Fiat Chrysler Automobiles (FCA) em tecnologias ‘made in Brasil’. No país operam dois Centros de Pesquisa e Desenvolvimento, localizados em Betim (MG) e no Recife (PE). Eles trabalham em conjunto com as demais unidades no mundo para trazer o futuro ao presente da indústria automobilística. A inovação também está dentro das fábricas, equipadas com laboratórios que criam as tecnologias e as soluções que as consumidoras experimentam nos carros.


Elas valorizam marcas sustentáveis

Compromissos de redução de impactos do meio ambiente também são valorizados. Nesse quesito, a marca se destaca com diversos programas pioneiros desenvolvidos no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG). Na fábrica, 99,6% da água tratada retorna para o processo produtivo – um recorde no setor automotivo. Outro marco é o Aterro Zero. Desde 2011, 100% dos resíduos que gera são destinados para a reciclagem e a reutilização. Isso sem falar dos projetos sociais, como a Cooperárvore. É uma cooperativa formada por mulheres da região do Jardim Teresópolis, que transforma resíduos, como aparas de cintos de segurança e tecido automotivo doados pela Fiat e fornecedores, em acessórios de moda como bolsas e mochilas. Em 12 anos, a Cooperárvore reutilizou cerca de 36 toneladas de material e produziu mais de 248 mil produtos.

E, como não poderia deixar de ser, os carros preferidos das mulheres também são feitos por mulheres. Elas estão presentes no Polo Auotomivo Fiat, em várias funções, incluindo cargos de destaque na gestão. São pessoas como Alexandra Morales, de 43 anos, que é gerente de operações logísticas. Ela está à frente de uma equipe de 1.012 homens (e 15 mulheres) na maior fábrica de carros da América Latina.


Texto: Mariama Correia

Fotos: Divulgação