Brasil: off road por excelência


Jeep Experience chega à sua segunda edição no Brasil, ganha registro em livro e promete vir para ficar – e impressionar

15 de março de 2017 - Como é possível que o Brasil, país com uma das maiores diversidades de ambientes naturais do mundo, ainda não tenha uma cultura off road como já é tradição há décadas em outras nações, como Estados Unidos e Rússia?

Nos EUA, as Jeep Experiences (sim, acontecem várias todo ano) reúnem jipeiros e outros amantes do fora de estrada numa comunhão quase religiosa com a natureza: todos compartilhando o mesmo ideal, curtindo as energias do lugar e vencendo juntos os desafios. É algo bonito de se ver e sentir e só quem já foi sabe do que estamos falando. A mais famosa dessas experiências é, provavelmente, o Easter Jeep Safari, que acontece todo ano no deserto de Moab, no estado americano de Utah.

Mas, assim como a marca Jeep se instalou definitivamente no Brasil, a Jeep Experience também faz parte do pacote.


No início de 2017 foi lançado o livro-reportagem Cerrado Vibrante, do jornalista Chico Barbosa, que conta a história da segunda edição brasileira do evento, na Chapada dos Guimarães, no Mato Grosso, durante uma semana, como parte das comemorações dos 75 anos da Jeep no mundo. A primeira edição, de 2016, percorreu 2 mil Km em 12 dias na Chapada Diamantina, Bahia, e também foi documentada por Barbosa, no livro Sertão Adentro. Os dois livros são belíssimos e ricamente ilustrados com imagens do fotógrafo Marcos Camargo.

As aventuras são contadas com os detalhes certos (inclusive mapas) e, ao começar a folhear, já dá vontade de concluir a leitura, fazer as malas e cai na estrada – ou fora da estrada, no caso. O acabamento também é premium, com capa dura e papel couché. O vídeo abaixo mostra detalhes das duas edições do Jeep Experience no Brasil:


Quem cuidou dos roteiros das expedições brasileiras foi o Cacá Clauset. “O Brasil é um dos melhores países do mundo para conhecer locais de carro”, anuncia. “Mas geralmente vamos de forma precária, conhecer locais inóspitos. Ponto forte do turismo brasileiro, as belezas naturais de certa forma são inalcançáveis se você não tiver um veículo off road para chegar lá”, ele diz. “Por exemplo, nessa experiência da Chapada dos Guimarães, para chegar à Crista de Galo, que é um lugar que marcou muito para mim e todo mundo que foi lá, você só consegue com um veículo 4x4. E é sensacional”, explica. “Esse é o espírito da Jeep Experience. Você conhecer o Brasil como normalmente só se vê na TV ou em livros, porque justamente não é o pacote turístico a que você normalmente tem acesso. E o Brasil é campeão para isso. Daria para fazer ainda mais umas 20 expedições em locais de beleza única”, vislumbra.


Autor dos livros, Chico Barbosa concorda: “Como jornalista, fui convidado ao Easter Jeep Safari em 2014; campo de prova fechado, vários níveis de dificuldade, experiência de ficar em ribanceira e tudo mais. Muito legal. Mas aqui na edição brasileira minha experiência foi mais rica. Fiz parte do staff, saí com o Cacá e o Marcos... Conto no livro. Chegamos em espaços que não imaginávamos que seriam tão interessantes”.

Marcos Camargo, o fotógrafo, também pensa assim. “Vejo a Jeep Experience como uma grande oportunidade para suprir uma carência gigantesca desse nicho automotivo. O Jeep no Brasil sempre foi renegado aos trilheiros. Mas na verdade tem um mercado imenso, com muitos usuários que desejam participar das trilhas mas acabam ficando meio de lado. ‘Isso é coisa de jipeiro’, você já deve ter escutado. Mas hoje a marca Jeep no Brasil tem uma dualidade, porque ao mesmo tempo em que ela é isso, ela agora é também uma marca sofisticada, com carros confortáveis e super equipados para qualquer terreno, como é o caso do Renegade, que é um carro urbano, mas capaz de fazer aquilo tudo”.

“Nosso propósito ao fazer o livro foi mostrar o que pode acontecer quando você põe o carro na estrada e sai por aí”, explica Chico. “Contamos histórias de pessoas que também fazem esse tipo de aventura. O objetivo é que cada leitor se sinta motivado a fazer sua própria história, assim como contamos as nossas.”

Barbosa também acredita que eventos como este devem despertar uma cultura off road no Brasil. “Acho que o grande lance dessas expedições é você utilizar o carro como instrumento para se divertir, conhecer o país, estar com os amigos... O carro não é um fim, é o meio que te permite chegar a lugares em que você não chegaria sem ele. Por isso você precisa de um bom carro com tração nas quatro rodas, para passar sem receio por lugares com lama ou pouca aderência, suspensão mais alta, para não bater quando descer de uma rampa, ângulo de saída alto na traseira também... Carros como o Jeep têm essas características que fazem o motorista se sentir seguro para fazer esse tipo de passeio off road”, explica.


Texto: Daniel Schneider

Fotos: Divulgação

Histórias Relacionadas

Grafite na Transpantaneira

Consulte Mais Informação

Pela preservação da água, Jeep vai além dos muros da fábrica

Read More